Review Asrock B450M Steel Legend

Lucas Peperaio
03/02/2020
Review

Fala pessoal! Sem dúvidas uma das placas-mãe mais pedidas no canal Peperaio Hardware, é a Asrock B450M Steel Legend e ela finalmente chegou por aqui para mais uma análise completa agora em forma de artigo aqui no site, onde nós veremos como ela se sai com 4 kits de RAM diferentes, 4 CPUs, dos básicos aos mais robustos incluso a análise do VRM com a câmera FLIR, além de darmos uma olhada na BIOS e claro, uma boa olhada nos seus principais recursos.

Overview

Eu já analisei anteriormente uma placa AM4 da Asrock, a B350 Fatal1ty Gaming K4, e na época eu disse que era a minha placa preferida pela sua boa relação de custo-benefício. Será que isso muda agora com essa Steel Legend? O tempo dirá. Confira nesse link, as especificações da placa diretamente do site do fabricante.

Asrock B450M Steel Legend - Placa e caixa

Para fazer jus ao nome Steel Legend, a placa adota um visual que lembra o aço, dissipadores e carenagem cinzas e mesmo onde é plástico, tem a aparência de alumínio. O mesmo pode ser dito para os desenhos e inscrições na placa. Para dar um destaque a mais, a Asrock adicionou leds RGB na carenagem ao lado do dissipador e próximo ao chipset.

Asrock B450M Steel Legend - Frente

Segue o tradicional formato Micro ATX, medindo 24.4cm por 24.4cm, tendo também o modelo ATX disponível no mercado. Quanto aos headers para fans, são 5, uma quantidade decente para a faixa de preço dela, sendo o CHA_FAN 1 na lateral, CPU_FAN obrigatório, CPU_FAN 2, CHA_FAN 2 e CHA_FAN 3 embaixo. Os headers trazem suporte de até 2A, com a exceção do CPU_FAN, que é 1A. O socket é o bom e velho AM4, compatível com RYZEN de primeira, segunda e terceira geração, sendo ainda provavelmente compatível com os de quarta que vem em 2020. A BIOS atual da placa é a 1003 ABB que dá suporte aos de terceira.

Asrock B450M Steel Legend - Dissipador

A placa tem dois dissipadores que cobrem totalmente, através de thermalpads, o que é essencial: Mosfets e os drivers do VRM, tanto do Vcore quanto do SOC. Indutores e PWM são descobertos, mas normalmente isto não é um problema. Este é um típico VRM de placa AM4 intermediária, usando o PWM UP9505 que controla nativamente 4+2 fases através dos 6 drivers presentes na placa. São um mosfet SM4337 de alta e dois SM4336 de baixa por fase, mais um indutor, mais um capacitor sólido no estágio de filtragem e entrega para o processador. No SOC, são dois fets de alta, os mesmos usados no Vcore. O mosfet de alta suporta no modo contínuo até 35A em 100 graus, com picos de 55A, enquanto que os dois de baixa suportam cada um, 40A em 100 graus, com picos de 65A. A tolerância máxima de temperatura para eles é de 150 graus.

Asrock B450M Steel Legend - Soquete

São mosfets bem comuns na Asrock e foram usadas em placas várias placas X370, X470 e X570 de entrada da marca. Teoricamente, considerando os Mosfets que ficam ativos por mais tempo, há o suporte de até 320A para o Vcore e 160A para SOC, mas conforme sobe a temperatura, estes valores caem exponencialmente e o fornecimento é reduzido.

Asrock B450M Steel Legend - Slot (memória)

A placa tem 4 slots de memória DDR4 com suporte oficial até 3533 Mhz no modo Dual Channel e 64GB de RAM. Eu fiz o teste com 4 kits de RAM diferentes, um Teamgroup 3000 Mhz CL15 2x4GB, um HyperX 3000 CL15 2x8GB, um G-Skill SniperX 3400 CL16 2x8GB e um G-Skill TridentZ Neo 3600 CL14 2x8GB. Todos rodaram perfeitamente apenas ativando o XMP na BIOS. O último kit, 3600 CL14 é feito exclusivamente para a terceira geração.

Asrock B450M Steel Legend - Parte inferior

Na lateral da placa vemos um header RGB 12V, o conector de alimentação principal, o header USB 3.0 frontal, 4 portas SATA 6Gbps com suporte a RAID 0, 1 e 10. Na parte de baixo, headers do painel frontal, clear CMOS, dois headers USB 3.0, um segundo header RGB 12v e um header ADD 5V.

A placa tem dois slots M.2. O primeiro é o Ultra M.2, que aceita SSDs até 2280 no modo PCIe X4 3.0 32Gbps, estando ao lado da placa de vídeo. O segundo slot aceita apenas SSDs M.2 SATA até 2280 e está melhor posicionado, longe da placa de vídeo.

São três slots PCI Express na placa, um X1, dois X16, sendo um com reforço metálico que é o mais indicado para uso de uma placa de vídeo. Ele não atrapalha o manuseio das portas SATA ou slots de memória RAM.

Asrock B450M Steel Legend - Conexões

Na parte de trás vemos 8 USBs, sendo 2x 2.0, 4x 3.0, 2x 3.1 Gen2 com suporte a 10 Gb/s, uma delas Tipo C reversível. Além disso, porta PS/2 para mouse e teclado, HDMI e Display Port, rede Gigabit e áudio 7.1 canais com entrada óptica.

Teste de temperatura

Abaixo será apresentado fotos com a câmera térmica FLIR, mostrando as variações térmicas nos componentes próximo ao processador, afim de identificarmos em teste de estresse, as maiores temperaturas bem como a eficiência de dissipação na placa-mãe.

Asrock B450M Steel Legend - 3200G - Blender - flir

Adotando a temperatura ambiente de 32+-2 graus em bancada aberta de forma a simular o uso dentro de um gabinete fechado, ao rodar um teste de stress em Blender Classroom, o RYZEN 3 3200G exigiu muito pouco do VRM, na média de 40A, onde o VRM trabalhou frio entre 41 e 51 graus. Quando rodamos um jogo competitivo pelo mesmo tempo, 15 minutos, o VRM esquentou alguns graus a mais na área do SOC, nada preocupante.

Asrock B450M Steel Legend - 3600 - Blender - flir

Com o RYZEN 5 3600, o aquecimento foi muito similar ao rodar o Blender, já que a exigência é parecida, cerca de 45A, esquentando um pouco menos quando em jogo.

Asrock B450M Steel Legend - 3700x - Blender - flir

Asrock B450M Steel Legend - 3700x OC - Blender - flir

Com um octa-core, o RYZEN 7 3700x, novamente o VRM se mostrou bem dimensionado, tendo picos de 54 graus rodando o Blender e 46 graus durante o jogo, com a exigência variando dos 50 à 60A em renderização. No teste de Overclock do 3700x durante o Blender, a exigência aumentou drasticamente para 80A, com isso a temperatura chegou até 84 graus na área do VRM, ainda dentro do limite.

Asrock B450M Steel Legend - 2700x - Blender - flir

Asrock B450M Steel Legend - 2700x OC - Blender - flir

E no teste mais agressivo, com o RYZEN 7 2700x de 105W, em stock ele exigiu 85A do VRM durante o Blender, subindo a temperatura máxima para 93 graus. Em jogo, tudo muito tranquilo novamente, 54 graus. E com o 2700x finalmente em Overclock, onde a exigência foi de 111A renderizando no Blender, o VRM não suportou a carga e fez thermal throttling, reduzindo drasticamente a frequência para 500 Mhz de 4 em 4 segundos na tentativa de não deixar o PC desligar. Bom, não foi suficiente, o PC deu tela azul no meio do teste. Pela câmera térmica vimos que o calor já estava irradiando pelas laterais, chegando a 117 graus. Este nível de exigência é similar ao que o 3900x exige em stock.

Portanto minha recomendação para esta placa é até o 2700X em stock na segunda geração, e até o 3800x em stock na terceira geração. Para overclock moderado, até o 2600x da segunda geração ou 3700x da terceira geração.

BIOS

Asrock B450M Steel Legend - BIOS (main)

Asrock B450M Steel Legend - BIOS (OC tweaker)

Asrock B450M Steel Legend - BIOS (OC tweaker 2)

A BIOS da placa segue um design similar visto em outras placas. No menu inicial é possível ver o resumo e a versão da BIOS atual, em OC Tweaker podemos configurar o CPU, fazer overclock manual, ajustar o XMP e timings da RAM, alterar o Infinity Fabric, aplicar tensão Offsett ou Fixa, usar o Load Line Calibration e etc.

Asrock B450M Steel Legend - BIOS (Advanced)

Em advanced podemos configurar coisas como os switchs de PCI Express, PBO e limites da placa. HW Monitor para fans e monitoramento, Security Boot e Exit para as funções básicas de atualizar a BIOS, configurar os HDs e SSDs e salvar e sair.

Conclusão

Asrock B450M Steel Legend - Bancada

Confesso que recebi essa placa com bastante entusiasmo pelas dezenas de comentários de pessoas pedindo ela. Alguma coisa tinha de interessante nela. E realmente, é uma boa placa intermediária, tem bons recursos onboard, uma BIOS estável e aceitou diversos kits de RAM de alta frequência. Sobre os CPUs testados, como é uma placa de segunda geração, até o 2700x em stock, ela atendeu perfeitamente todos os chips e isso é importante. Garantir para o que ela foi planejada. Overclock é lucro. Não deu pra fazer um OC no 2700x, a não ser que, sei lá, você coloque uma potente fan soprando em cima do dissipador.

Para os cpus de terceira geração que veio após ela, até o Octa Core ela atende bem, e mesmo em overclock, no caso do 3700x, que é o que a esmagadora maioria dos usuários buscam hoje. Ou seja, é uma ótima placa para usar um 2600, 2700, 3600, 3700x, não precisa mais que isso. Já o RYZEN 9 3900x de 12 núcleos, é uma nova categoria que chegou agora e que a placa não tem um VRM preparado para tal. Dá para usar? Dá para usar. Até diz no site que tem o suporte… Mas definitivamente, eu não recomendo.

Até porque o 3900x é um CPU que custa R$ 3300 hoje, colocar numa placa de 500 pila não me parece muito sensato. O ideal é pegar uma X470 ou X570 melhor preparada, com mais fases e tudo mais.