Review Biostar A320MH

Lucas Peperaio
16/03/2020
Review

Fala pessoal! Eu tenho feito diversas análises de placas-mãe lá no canal, tanto para Intel, quanto para a AMD, e eu tenho sempre buscado as melhores placas possíveis para vocês. Mas hoje não vamos focar exatamente no melhor, e sim, no mais BARATO. Eu peguei a placa-mãe AM4 para RYZEN mais barata possível, a BIOSTAR A320MH que custa R$ 270 na TerabyteShop, e nesse artigo vamos ver se ela é boa para os novos RYZEN, seus pontos positivos e negativos.

Overview

Lá no canal eu já trouxe uma placa da BIOSTAR antes, a B450 GT3, vou deixar este link do vídeo para vocês assistirem. BIOSTAR já é uma marca antiga no mercado e aqui no Brasil tem chegado com diversos modelos, desde as X570 mais tops até as A320 mais básicas, que é o caso dessa.

Biostar A320MH - Placa e caixa 1

Biostar A320MH - Placa (frente)

Devido ao preço da placa, não espere nada demais nela, tudo é extremamente simples com o foco em custar o mínimo possível. Headers para fans mesmo, só dois, sendo um o CPU_FAN obrigatório. Portanto caso você precise conectar mais que uma fan no gabinete ou no cooler, precisará comprar um splitter. Ela segue um dos padrões do MicroATX um pouco menores, 22.6cm por 17.4cm.

Biostar A320MH - Soquete

O socket é o bom e velho AM4, compatível com RYZEN de primeira, segunda e terceira geração, sendo ainda provavelmente compatível com os de quarta que vem agora em 2020.

Biostar A320MH - VRM

Biostar A320MH - VRM 2

O VRM é de igual modo, extremamente simples. Além de não ter dissipador no VRM, o conector de alimentação é de apenas 4 pinos, motivos que deveriam ser suficientes para o fabricante limitar CPUs muito exigentes, e neste artigo veremos o que acontece.

O PWM utilizado é o ISL62773 que controla as 5 fases da placa no esquema 3+2, ou seja, 3 fases para o Vcore, 2 para o SOC. Todas as fases usam três Mosfets, um SM4377 de alta e dois SM4364 de baixa. O mosfet de alta é o mesmo usado na B450 Steel Legend, e teoricamente suporta até 35A contínuo em 100 graus. Porém, como não há dissipador, temos que considerar um valor menor de apenas 10.2A em 75 graus, já que o fornecimento é exponencialmente reduzido conforme sobe a temperatura, e sem o dissipador, sobe muito rápido. O mosfet de baixa informa que suporta 48A em 100 graus e não há informações sobre a situação dele sem o dissipador, mas com certeza o fornecimento real deve estar muito abaixo disso. A tolerância máxima de ambos é de 150 graus, ponto onde ele desarma.

Biostar A320MH - Slot de memória

A placa tem 2 slots de memória DDR4 com suporte oficial de 2933 Mhz e 32GB de RAM em Dual Channel. Porém ao contrário das placas H310 e B360 da Intel, mesmo no chipset A320 mais básico é possível fazer overclock e usar XMP alto. Eu consegui testar três kits de RAM de alta frequência, um Teamgroup 3000 Mhz CL15 2x4GB, um HyperX 3000 CL15 2x8GB e um G-Skill SniperX 3400 CL16 2x8GB, todos funcionaram perfeitamente apenas ativando o XMP na BIOS. Na parte lateral da placa só temos o VRM da memória, que usa os mesmos Mosfets do VRM principal, além do conector de alimentação.

Biostar A320MH - Parte inferior

Na parte de baixo, a placa tem o header do painel frontal, 4 SATAS 6Gbps viradas para cima com suporte a RAID 0,1,10, este é outro diferencial das placas AMD, pois o RAID só é suportado na Intel a partir de placas H370 para cima. Há um header USB 3.0, duas USB 2.0, Clear CMOS e conexão de áudio frontal. A placa não tem slot M.2, uma das poucas que não trazem isso hoje em dia. São três slots PCI Express, um X16 e dois X1.

Biostar A320MH - Conexões

Na parte de trás, por ser uma placa que normalmente será usada em PCs básicos, vemos a conexão VGA e HDMI para uso exclusivo de CPUS Athlon e RYZEN com final G. Vemos também o OS/2 para mouse e teclado, 6 USBs, 4x 2.0 e 2x 3.0, rede gigabit e áudio com 3 conexões codec ALC887.

Teste de temperatura

Abaixo será apresentado fotos com  câmera FLIR, mostrando as variações térmicas nos componentes próximo ao processador, afim de identificarmos em teste de estresse, as maiores temperaturas bem como a dissipação na placa-mãe. Nesses testes práticos, vamos ver quais CPUs a placa suporta bem.

Biostar A320MH 3200G - Blender (flir)

Adotando a temperatura ambiente de 32+-2 graus em bancada aberta de forma a simular o uso dentro de um gabinete fechado, ao rodar um teste de stress em Blender Classroom, o RYZEN 3 3200G exigiu cerca de 50A do VRM, com menos eficiência que em outras placas. A temperatura é amena, de 42 à 61 graus. Em PUBG jogando por 15 minutos, a temperatura ficou um pouco inferior.

Biostar A320MH 3600 - Blender (flir)

Com o RYZEN 5 3600, o mais popular da terceira geração, a temperatura subiu para 79 graus no teste do Blender, ainda tranquila, e não houve throttling no CPU, que estava exigindo algo em torno dos 58A. Em PUBG, por ter muitos núcleos, a temperatura ficou até menor que o teste do 3200G, pico de 51 graus.

Biostar A320MH 3700X - Blender (flir)

Por fim, eu precisei terminar os testes no RYZEN 7 3700x, pois durante o teste do Blender, cuja exigência estava por volta dos 74A, o VRM não aguentou a carga e passou a fazer power throttling, reduzindo clock do processador para 500 Mhz. Na câmera térmica, a temperatura ainda não estava tão alta, máximo de 89 graus. Considerando que estes Mosfets poderiam subir além disso, eu acredito que o VRM foi limitado não pela temperatura, mas sim pela corrente. No teste em jogo, como o uso do CPU é bem baixo, tudo normal, 60 graus no VRM.

Portanto a minha recomendação para esta placa é até o RYZEN 5 2600 da segunda geração ou RYZEN 5 3600 da terceira geração. Acima disso, ao rodar o CPU em 100% do seu potencial, poderá haver o power throttling como houve com o 3700x por insuficiência do VRM.

BIOS

A BIOS da placa é bem similar à B450 GT3 que eu analisei antes, com um resumo do CPU, RAM e temperatura ao lado, e menus bem organizados com a maioria dos recursos que se espera neste tipo de placa. Em ONE, não podemos alterar a frequência do CPU, mas da RAM sim, seja via XMP ou no modo manual. É possível configurar os timings e o FCLK Frequency.

Conclusão

Que a placa não iria suportar bem todos os RYZEN isso eu já imaginava, afinal ela é uma Low End das mais baratinhas. O problema é que assim como todos os outros fabricantes, a BIOSTAR anuncia no site o suporte para TODA a linha, até mesmo para o 3950x que exigiria pelo menos 125A, 70% mais que o 3700x. Se não aguentou rodar todos os núcleos ativos em 100% do 3700x, pela lógica também não vai aguentar o 3800x, 3900x e 3950x.

Como a maioria das pessoas buscam hoje o RYZEN 5 1600, 2600 ou 3600, ou mesmo as APUs 2200G, 3200G, os Athlons, para este público esta placa atende. É básica em recursos, mas é bem baratinha e isso ajuda para quem está com orçamento apertado e conta com cada centavo extra na hora de fechar a conta.

Masss, caso você possa investir mais, eu sugiro hoje as placas B350 ou B450 que são encontradas por um pouco a mais apenas, a partir dos R$ 340. São placas que contam com slot M.2, tem mais slots de memória, algumas tem mais SATAs e permitem overclock, sendo um excelente diferencial pois todos os RYZEN são desbloqueados para overclock.

Lá no canal eu tenho o review de várias placas B450, a B450M Gaming BR da ASUS, B450 Steel Legend da ASrock, B450 GT3 da BIOSTAR, você pode pesquisar lá no canal e encontrará estes reviews.