Review Placa-mãe ASUS ROG Strix B550-E Gaming

Lucas Peperaio
16/12/2020
Review

Hoje vamos analisar a primeira placa-mãe B550 que chega ao canal e trazendo também o artigo aqui no site, ASUS ROG Strix B550-E Gaming, a melhor B550 que a ASUS oferece hoje, acima da versão F, TUF e Prime. B550 que é o novo chipset da AMD que trás como principal diferencial o suporte a PCI Express 4.0, algo que só era visto nas placas X570, além da compatibilidade com os RYZEN da terceira geração sem a necessidade de atualização de BIOS, e principalmente, a futura compatibilidade garantida com os novos RYZEN 4000 via update de BIOS. Hoje vamos testar a placa com alguns CPUs para ela, além da compatibilidade de RAM e SSD PCI 4.0 no slot M.2.

Unboxing

ASUS B550-E Strix - Placa e Caixa

A caixa é similar as outras ROG, com a logo em grande destaque ROG Strix B550-E Gaming, além da informação do suporte ao PCIe 4.0, USB 3.2 Gen 2, suporte a SLI e suporte a RYZEN da terceira geração. Atrás, os principais destaques da placa, como o USB 3.2 Gen 2, VRM 14 fase, Wifi e rede 2.5 Gbps. Abrindo a caixa você recebe um bem-vindo a republica, uma caixa com a antena Wifi. Por baixo da placa, vemos o manual completo, DVD de drivers, folha de adesivos, cartão de agradecimento. Em dois compartimentos, 4 cabos SATA, cabos de extensão RGB, um chaveiro ROG, parafusos e borracha para M.2 (para uso em SSDs Single-sided), um cabo de áudio USB-C e abraçadeiras.

 

Overview

ASUS B550-E Strix - Placa (Frente)

E não só a caixa, mas a placa lembra bem a B450-E Strix, com alguns componentes nas mesmas posições, agora com um dissipador a mais no primeiro M.2. Mas a ideia visual é a mesma, uma placa discreta, com quase tudo escuro, apenas com algumas linhas rosas em áreas específicas dela. Ela ainda conta com iluminação RGB, afinal é a moda dos últimos 5 anos. Eles ficam por baixo do dissipador do chipset, na logo Strix, e no olho ROG da carenagem.

Ela segue um form factor ATX tradicional, 30.5cm por 24.4cm, não estando disponível na versão MicroATX também. A placa conta com boa quantidade de conexões para fans, o CHA_FAN 1 na lateral, CPU_FAN, CPU_OPT e AIO_PUMP na parte de cima, este último mais dedicado para bomba de Watercooler. Por fim embaixo, CHA_FAN 2 e 3. Todos são de 1A 12W.

ASUS B550-E Strix - Soquete

O socket é o popular AM4, presente nas placas AMD desde 2017 e retrocompatível entre várias gerações. Porém, nestas placas B550, o suporte para CPUs da primeira e segunda geração foram retirados, de forma a deixar a placa destinada para os CPUs de terceira e os futuros de quarta geração. E isso inclui as APUS 3000 como 3000G, 3200G e 3400G, pois na verdade são da arquitetura de segunda geração.

Bom, isso é o que a AMD diz e o que a ASUS confirma em seu site, mas na verdade eu consegui utilizar perfeitamente vários CPUs mais antigos como o Ryzen 5 1400, Ryzen 5 2600, Ryzen 5 1600 AF, 2700x. Eu não sei se isso é exclusivo deste modelo de placa, vou continuar testando em outras no futuro. Eu utilizei a última BIOS disponível 0608 Agesa 1001.

ASUS B550-E Strix - Dissipador (Thermalpad)

ASUS B550-E Strix - Dissipador (Lado)

ASUS B550-E Strix - Dissipador (Frente)

A ASUS traz um novo design para os seus dissipadores do VRM, mantendo a cobertura completa de todos os estágios de energia do projeto, e não apenas, mas também todos os indutores em ambos os dissipadores. São parafusados, o que garantem uma pressão mais firme.

ASUS B550-E Strix - Energia (CPU)

ASUS B550-E Strix - Placa superior (Back)

ASUS B550-E Strix - Placa Inferior (Back)

A placa conta com dois conectores de alimentação, 1×8 Pinos obrigatório e 1×4 Pinos opcional, que deve ser usado sempre que possível e especialmente em overclock de processadores mais robustos como os RYZEN 9. O circuito começa com um indutor para filtragem da corrente nos plugues, 5 capacitores sólidos 27016V 5K na entrada, indutores 47nH em cada fase, 11 capacitores sólidos 560uF 6.3V 5K, e mais de 50 capacitores de cerâmica espalhados por cima e por baixo da placa.

ASUS B550-E Strix - VRM 1

ASUS B550-E Strix - VRM 2

ASUS B550-E Strix - VRM 3

O VRM da placa segue um design com 14+2 fases como informado pelo fabricante. O PWM utilizado é o ASP2006, que de acordo com o típico layout das placas ASUS, trabalha em 7+1 fases, pois a ASUS utiliza um sinal PWM para duas fases, criando superfases com o dobro de corrente, porém trabalhando com 7 fases “reais” para o Vcore. É um esquema que a ASUS aponta como sendo mais eficiente na resposta transitória em relação a duplicação tradicional. Logo, o VRM tem na prática, 7 Fases para Vcore + 1 Fase para SOC / IGPU, ambos com componentes duplicados.

Os DrMOS são MPS86992, onde eu não encontrei nenhuma informação pública deste componente. Considerando que a B550-F, versão inferior conta com os Vishay SIC639 50A, é esperado que esta B550-E tenha no mínimo, algo do mesmo patamar.

ASUS B550-E Strix - Slot de Memória

A placa conta com 4 slots de memória DDR4 com suporte a Dual Channel, 128GB e até 4600 Mhz em overclock, sendo o padrão 3200 Mhz. Obviamente, é possível usar abaixo disso também. Eu fiz o teste com 4 kits de RAM diferentes, um Teamgroup Vulkan 3000 Mhz CL15 2x4GB, um G-Skill Sniper-X 3400 Mhz 2x8GB CL16, um G-Skill TridentZ Royal 3600 Mhz CL16 2x8GB e um HyperX Predator 3600 Mhz CL17 2x8GB, todos funcionaram perfeitamente apenas ativando o XMP na BIOS.

ASUS B550-E Strix - USB 3.2

ASUS B550-E Strix - Satas

Na parte de cima da placa um header RGB 12V, na lateral, um de 5V endereçável, ambos com suporte a 3A. 4 Leds multi cores indicam o status do POST. Duas conexões USB para uso no painel frontal, uma 3.2 Gen 1 (5Gbps) antes conhecida como 3.0, e uma 3.2 Gen 2 (10Gbps) antes conhecida como 3.1. 6 Portas SATA 6Gbps com suporte a RAID 0, 1 e 10.

ASUS B550-E Strix - Parte Inferior

Embaixo, conexões do painel frontal, speaker, clear cmos, thunderbolt, 2x USB 2.0, conexão para sensor térmico, RGB 5V e RGB 12V, Led Debugger muito útil e a conexão de áudio frontal.

ASUS B550-E Strix - M.2

ASUS B550-E Strix - Dissipador M.2

A placa conta com dois slots M.2 com dissipadores, já que este tipo de SSD normalmente esquenta bastante e com isso, reduz sua performance. Ambos permitem SSDs de até 110mm de comprimento, modo SATA, mas apenas o primeiro slot que é controlado pelo processador suporta PCIe 4.0 X4. O slot de baixo é controlado pelo chipset e funciona apenas em 3.0 X4.

ASUS B550-E Strix - PCIE

Da mesma forma, os slots PCI Express se dividem entre os PCI 4.0 e PCI 3.0. O primeiro e o segundo X16, com reforço metálico, são 4.0. Os outros dois X1 e X16 da parte de baixo, são 3.0. Eles funcionam em Single X16 no primeiro ou Dual X8, existindo os multiplexadores PCI para tal.

Logo, esta placa é compatível com SLI, algo que só era visto em placas mais robustas. E é importante frisar que PCIe 4.0 é um recurso exclusivo dos processadores RYZEN de terceira geração em diante.

ASUS B550-E Strix - Conexões

Na parte de trás, a placa conta com o recurso BIOS Flashback para regravação da BIOS mesmo sem um CPU ou RAM instalado, muito útil em casos de problemas com a BIOS. A placa conta com 7 USBs, estranhamente 4 delas são as antigas 2.0.. e 3x as novas USB 3.2 Gen 2, uma delas tipo C. No entanto a placa compensa isso oferecendo Wifi 6 AC/AX 2.4 e 5 Ghz, suporte a MU-MIMO e Bluetooth 5.1, fechando com a LAN de 2.5Gbps, consideravelmente superior em relação ao padrão gigabit. A placa ainda tem HDMI e Display Port para uso de gráfico integrado e áudio 7.1 canais provisionado pelo Codec S1220A.

 

Teste de Temperatura

ASUS B550-E Strix - 3600 - Blender (flir)

ASUS B550-E Strix - 3600 - PUBG (flir)

Testando o VRM em minha metodologia com temperatura ambiente 32 graus de forma a simular uma carga típica dentro de um gabinete fechado, ao testar o RYZEN 5 3600 em um teste de stress no software Blender por 15 minutos, demo Classroom, cuja carga era de 42A, o VRM alcançou apenas 46 graus. Jogando o game PUBG pelo mesmo tempo, alguns graus a menos.

ASUS B550-E Strix - 3700x - Blender (flir)

ASUS B550-E Strix - 3700x - PUBG (flir)

Passando para um Octa Core, RYZEN 7 3700x, com a exigência subindo para 54A, o VRM subiu apenas 2 graus, mostrando absoluta tranquilidade. Em game, 45 graus no ponto mais quente.

ASUS B550-E Strix - 2700x - Blender (flir)

Agora com o RYZEN 7 2700x de 105W em Blender, que exigiu cerca de 85A de corrente do VRM, um pequeno aumento novamente de apenas 4 graus.

ASUS B550-E Strix - 3700x OC - Blender (flir)

Partindo para os testes de overclock, agora usando um Watercooler selado, com o RYZEN 7 3700x em 4.1 Ghz fixo 1.44V, com a exigência em meros 75A, o VRM esquentou mais do que quando estava com o 2700x em 85A, pelo fato do cooler box no teste do 2700x estar ajudando a reduzir a temperatura ao soprar o ar para baixo, em direção ao CPU e inevitavelmente, ao VRM.

ASUS B550-E Strix - 2700x OC - Blender (flir)

Por fim o teste mais agressivo, RYZEN 7 2700x em overclock, 4.1 Ghz fixo 1.44V, onde a exigência subiu para 115A, que é similar ao que acontece com um RYZEN 9 3900x em suas condições normais, servindo como comparação, vemos o VRM surpreendentemente frio, entre 71 e 73 graus, mostrando que tem margem para ir além, como um 3950x em overclock.

ASUS B550-E Strix - Temperatura do VRM - 2700x stock

ASUS B550-E Strix - Temperatura do VRM - 2700x OC

Comparando esta situação com outras placas AM4 testadas no canal, vemos que a B550-E ficou empatada com placas X570, sendo até melhor que alguns modelos, e consideravelmente superior em relação as B450. No teste que simula a carga do 3900x em 115A, todas as B450 testadas fizeram throttling, enquanto que as X570 e a B550-E suportaram com tranquilidade.

 

Conclusão

Comparando com a B450-E, fica claro que a B550-E melhorou em vários aspectos em relação a ela, de forma com que ela se parece mais com uma X570 do que com uma B450. Isso deixa estas placas robustas para atender as demandas de CPUs como os RYZEN 9, mas como tudo, tem um custo.

Assim como quando as X570 chegaram ao mercado e subiram o patamar de preço em relação as X470, as B550 também chegam custando tipicamente acima das B450, de modo com que as duas devem seguir no mercado. B450 como um produto mais barato e B550 com melhor construção, o que a torna bem cara também.

Claramente a AMD está tentando posicionar a B550 como uma alternativa mais barata a X570, mas vários modelos das B550 vão invadir o território da X570. Hoje na newegg americana vemos várias B550 custando entre $100 e $200, patamar de preço hoje de algumas placas X570.

Se vale a pena? Precisamos ver a disponibilidade e preço local. A vantagem da B550 hoje é a compatibilidade certa com os RYZEN da terceira geração, sem a necessidade de atualização de BIOS como acontece em placas como B350 e B450. E principalmente, o suporte garantido para os RYZEN de quarta geração. Apesar da AMD dizer que as placas B450 e X470 também serão, este suporte será beta. O oficial será apenas para X570 e B550.

Outra vantagem, dada a sua excelente construção, é o suporte para CPUs robustos da plataforma, tal como os RYZEN 9. Mas, caso você pretenda utilizar CPUs como Ryzen 5 3600, 3700x, 1600 AF, 3400G, qualquer B350/B450 suporta eles com tranquilidade, de modo com que não é necessário gastar tanto em placas robustas como B550 e X570.