VRM e Fases de Alimentação

Lucas Peperaio
26/06/2014
Estudos

VRM é um circuito com uma ou mais fases presente em placas-mãe, placas de vídeo e etc. Sua finalidade é receber a carga da fonte de alimentação e convertê-la para as demais cargas necessárias para os componentes de um determinado sistema, como um processador por exemplo.

Também conhecidos como circuitos reguladores de tensão, podemos encontrá-los em placas-mãe, geralmente posicionados perto do soquete do processador e slots de memória ram; e em PCBs de placas de vídeo, geralmente posicionados na vertical em sequência, próximo dos chips de memória e GPU.

VRM placa de vídeo

VRM placa-mãe

 

Fases de alimentação

O circuito regulador de tensão pode ter circuitos de potência trabalhando em paralelo para produzir a mesma tensão de saída, são conhecidos como fases de alimentação ou power-phases. Se o circuito responsável pela alimentação do CPU possuir 1 fase, ela estará operando em 100% do tempo para alimentar o processador, portanto tende a aquecer e se sobrecarregar mais. Se o VRM possui 4 fases, cada fase estará ativa em 25% do tempo, portanto esquentarão menos e serão mais estáveis. Se as fases de um circuito esquentam menos, todo o circuito produzirá uma tensão de saída mais estável e sem ruídos, trazendo mais estabilidade ao sistema. Portanto, uma boa quantidade de fases dentro de um circuito regulador de tensão é importante, principalmente para quem pretende fazer overclock, onde tensões maiores serão fornecidas aos componentes.

Como identificar

Nos manuais dos componentes e sites dos fabricantes, a quantidade de fases é mencionada da seguinte forma: 8 fases ou 8 power phases por exemplo. Neste caso, são 8 fases responsáveis pela alimentação do processador. Porém, nos sistemas atuais onde o controlador de memória é integrado ao CPU, o circuito regulador de tensão fornece mais de uma tensão para o processador. Então, o fabricante anuncia da seguinte forma: 8+3, ou 4+1, ou 16+8, ou 8+2+2, ou 8+2+2+1 e etc. Confuso não? vamos explicar

O primeiro valor refere-se as fases do circuito destinadas a alimentação principal do processador (vcc/vcore), o segundo e terceiro valor referem-se geralmente as fases destinadas a tensão do controlador de memória e VTT, interfaces DMI e PCI-Express embutidos no CPU. Em alguns casos pode ainda ter uma quarta tensão, para o controlador de vídeo integrado. Estas informações variam conforme a plataforma.

É importante ressaltar que existe pelo menos 1 fase extra destinada para a memória RAM e 1 para o chipset. Estas fases podem estar posicionadas próximos a estes componentes ou juntas com as fases do CPU, dependendo da placa-mãe.

Asrock Fatal1ty Professional Z77

Fatal1ty Z77 Professional Top VRM fases de alimentação
Vamos dar o exemplo na Asrock Fatal1ty Professional Z77. O fabricante anuncia 16+8 fases para o processador. Na realidade, o correto seria anunciar 16+4+4, já que neste caso, temos 16 fases para a alimentação principal (vcc/vcore), 4 para o controlador de memória e 4 para as interfaces PCI-Express/DMI e tensão VTT, embutidas no processador. As fases do processador ficam juntos ao soquete por padrão, e neste caso, possuem um dissipador para que o calor gerado pelo circuito seja amenizado. Se olharmos mais ao lado, vemos também 5 fases dedicadas para a Memória RAM, o que torna esta placa uma excelente escolha para overclock.

Placas de vídeo

Em placas de vídeo, o esquema é parecido. A Asus AMD R9 290x DirectCU II OC por exemplo, possui um VRM com 6+4 fases, sendo 6 dedicadas a GPU e 4 as memórias. Já a EVGA Geforce GTX 780 ti classfied kingpin edition possui um VRM com 14+3 fases, sendo 14 para a GPU e 3 para as memórias. O número de fases e refrigeração adequada aumenta a capacidade e estabilidade de overclock da placa de vídeo.

EVGA Geforce GTX 780 TI Kingpin Edition Classified VRM Fases

R9 290x Asus DirectCU II OC Fases VRM

 

Recomendações
Não existe um número certo de fases ideais para cada overclock, mas existem algumas recomendações. Uma boa placa-mãe com pelo menos 4 fases para CPU (4+2 por exemplo) já é um bom começo. Eu particularmente recomendaria uma a partir de 6 fases. Porém, quantidade nem sempre significará qualidade! A qualidade e dissipação do circuito é de extrema importância também! E o fabricante não costuma informar sobre isso, portanto a única solução é procurar por reviews do seu hardware em sites de autoridade no assunto.

http://www.clubedohardware.com.br/artigos/Tudo-o-Que-Voce-Precisa-Saber-Sobre-o-Circuito-Regulador-de-Tensao-da-Placa-Mae/1560
http://www.overclock.net/a/about-vrms-mosfets-motherboard-safety-with-high-tdp-processors

 

1 comentário
  • Leandro - 6 de outubro de 2014

    Belo texto amigo. Estou bastante preocupado com a temperatura da minha vga, trata-se de uma GTX 780Ti DirectCU II. A temperatura das vrms estão passando de 85Cº. Seria por causa da fonte fraca?