Review Gainward RTX 3090 Phoenix 24GB

Lucas Peperaio
31/03/2021
Review

RTX 3090, uma das placas de vídeo para games mais rápida do mundo e sem dúvidas, a mais rápida que eu já testei! Será que agora precisaremos de 24GB para apenas, jogar? Enquanto esse dia não chega, vamos ver como ela se sai nos games atuais e em aplicações profissionais, pois ela é uma sucessora espiritual das antigas TITAN, caras demais apenas para jogar, com um pezinho na computação profissional… Sim, ela é muito rápida, bem como é MUITO cara, sendo lançada por $1500 dólares, mais que o dobro do preço de uma 3080… Será que ela entrega o dobro de desempenho?

Overview

Gainward RTX 3090 Phoenix - Placa e Caixa

Gainward RTX 3090 Phoenix - Caixa e Placa (Frente)

Tenho em mãos a Gainward RTX 3090 Phoenix 24GB, que é um modelo intermediário dentro da linha atual Gainward, ficando abaixo das linhas GS, Golden Sample, binadas para clocks maiores e da Phantom, o melhor produto que a marca oferece hoje, e eu já trouxe o unboxing da RTX 3080 Phantom aqui no canal. Gainward que está sob o guarda-chuva da Palit, um dos maiores fabricantes de placas de vídeo do mundo, dona de outras marcas também.

Gainward RTX 3090 Phoenix - Placa (Frente)

 

Gainward RTX 3090 Phoenix - Logo

Gainward RTX 3090 Phoenix - Conexão SLI

A Gainward mudou o visual das antigas Phoenix, trazendo um maior apelo aos leds, com anéis de iluminação vindo da fan central para os cantos, com uma estrutura de metal cobrindo a área, ainda mantendo a placa quase toda aberta. Em cima na placa, a logo GeForce RTX sem iluminação, área onde vemos o diferencial desta placa. RTX 3090 é a única na nova série RTX que suporta o SLI, mesmo a 3080 ficou de fora do suporte.

Gainward RTX 3090 Phoenix - Conector de Energia

Dois conectores 8 Pinos alimentam a placa, que ficam no limite para um eventual overclock, dado o alto consumo da placa, 350W em stock. O modelo Phantom da Gainward trás três conectores de 8 pinos, por sua vez, maior margem nos clocks, porém liberando a placa para consumir ainda mais.

Gainward RTX 3090 Phoenix - Backplate (Ângulo)

Gainward RTX 3090 Phoenix - Backplate

Gainward RTX 3090 Phoenix - Backplate (Energia)

Por trás vemos o backplate de metal da placa, e sim, eu confirmei com a Gainward o material usado aqui, onde vemos a logo Phoenix e as aberturas que permitem o ar passar por dentro da placa e sair diretamente aqui.

Gainward RTX 3090 Phoenix - Conexões

A placa entrega três saídas Display Port e uma HDMI 2.1, que possibilita resoluções como o 8K, um dos maiores marketings em cima desta placa.

Mas não, não irei testar em 8K nesse review, muitos de vocês já viram esses testes por ai, é uma resolução totalmente fora da realidade, uma porque as TVs 8K custam quase o preço da placa, e quando ela for realmente popular, não será essa a placa que estará em alta no momento para rodar neste tipo de resolução, e sim as placas das futuras gerações.

Gainward RTX 3090 Phoenix - Placa (Mesa)

Aproveito para ressaltar que neste artigo eu não farei a análise interna da placa, pois infelizmente eu não posso abrir a placa por não ser minha, então fico devendo isso para vocês.

 

RTX 3090
RX 6800 XT RTX 3080
GPU GA102 Navi 21 GA102
Shaders 10496 4608 8704
RT Cores 82 72 68
Tensor Cores 328 – – – 272
TMUs 328 288 272
ROPs 112 128 96
Clock da GPU 1395 / 1740 MHz 1825/ 2250 MHz 1440 / 1800 MHz
Clock da Memória 19500 MHz 16000 MHz 19000 MHz
Tamanho da Memória 24 GB GDDR6X 16 GB GDDR6 10 GB GDDR6X
Barramento da Memória 384-bit 256-bit 320-bit
Largura de Banda 936.2 GB/s 512 GB/s 760.3 GB/s
TDP 350W 300W 320W
Energia 3 x 8-pin 2 x 8-pin 2 x 8-pin
Preço no lançamento US$ 1500 US$ 649 US$ 699

A GPU é a GA102 da arquitetura Ampere, fabricada pela Samsung em 8nm com 28.3 Bilhões de transistores em uma área de 628 mm². Ela conta com 10496 Cuda Cores com 82 RT Cores de segunda geração para RayTracing e 328 Tensor Cores de terceira geração para IA, hoje mais explorado no DLSS. Usa RAM GDDR6X com 24GB em 19.5Ghz efetivos e largura de banda final em 936.2 GB/s.

Testes

O foco nos testes foi justamente visando a resolução 4k que é hoje mais palpável para essa placa quando se fala em alta definição.

 

Battlefield V

BF5 é um jogo de tiro em primeira pessoa com foco no multiplayer online, teve seu lançamento no dia 20 de novembro de 2018. Desenvolvido pela EA DICE e Criterion Games, jogo foi um dos primeiros jogos a apresentar tecnologias recentes como Raytracing. Criado com a engine Frostbite 3, e tem suporte ao DirectX 11 e ao DirectX 12.

Começando os testes em Battlefield 5, sem dúvidas o 4K já foi tranquilamente superado pela 3090, 117 FPS no Ultra, 10 quadros acima da 3080.

Gainward RTX 3090 Phoenix - 1 - BF5

 

Microsoft Flight Simulator

Simulador de vôo lançado em 2020, Asobo Studio trouxe um visual espetacular para a franquia simulando todo o planeta Terra com representações tridimensionais, usando diversas técnicas e ferramentas, como Bing Maps e Microsoft Asure.

Em Flight Simulator, game bastante difícil para os hardwares atuais, 64 FPS na média em 4K, mas a mínima em 44. Em 1440p, praticamente empatada com a 3080.

Gainward RTX 3090 Phoenix - 2 - Flight Simulator

 

Horizon Zero Dawn

Jogo que saiu do catálogo de exclusivos do console da Sony, foi lançado para PC em 2020, desenvolvido pela Guerrilla Games. Ambientação de mundo aberto com dinossauros robóticos e cenário pós-apocalíptico muito bem detalhados. Foi desenvolvido na Decima Engine.

Em Horizon Zero Dawn com gráficos Ultra customizados, tranquilos 93 quadros em 4K, 9 a mais que a 3080.

Gainward RTX 3090 Phoenix - 3 - Horizon Zero Dawn

 

Metro Exodus

Jogo de tiro em primeira pessoa de sobrevivência, foi lançado em fevereiro de 2019. Desenvolvido pela 4A Games, ele é o terceiro título da franquia. Mostrando cenários detalhados e extremamente bonitos, jogo trouxe recursos tecnológicos recentes como Raytracing e DLSS utilizando a API DirectX 12. Criado com a 4A Engine.

Em Metro Exodus, resultado bastante parecido, entregando quase 100 quadros em 4K, porém sem o Ray Tracing, pois mais abaixo veremos a performance nessa condição.

Gainward RTX 3090 Phoenix - 4 - Metro Exodus

 

Red Dead Redemption 2

RDR2 desenvolvido pela Rockstar Games, foi lançado em novembro de 2019 para PC (1 ano após o lançamento da versão dos consoles,) sendo um dos jogos mais aguardados pelos jogadores de PC, até mesmo antes da confirmação do jogo para a plataforma, tamanha a empolgação e esperança.  Um dos títulos mais aclamados da geração, ele possui temática e ambientação no velho-Oeste, mostrando cenários deslumbrantes e rico em detalhes, bem como uma narrativa densa. Criado na engine RAGE.

Em Red Dead Redemption 2 com gráficos ultra customizados, gráficos superior aos consoles, 131 quadros em 1440p e 90 em 4K, 9 acima da 3080.

Gainward RTX 3090 Phoenix - 5 - RDR 2

 

Resident Evil 3

Remake do terceiro jogo da aclamada franquia dos jogos de survivor horror da Capcom, RE3 foi lançado em 2020, após o sucesso do também remake, Resident Evil 2. Trazendo incríveis visuais com a RE Engine, e o resultado é um jogo com bastante realismo nas luzes e sombras, para maior imersão.

Resident Evil 3 Remake dispensa comentários por ser um game até leve, que roda a 60 mesmo em uma 2070 Super em 4K. 136 Quadros no Ultra em 4K na 3090.

Gainward RTX 3090 Phoenix - 6 - Resident Evil 3

 

Shadow of the Tomb Raider

Terceiro jogo da franquia após o seu reboot em 2013, jogo foi lançado em setembro de 2018. Desenvolvido pela Eidos Montréal, título apresenta excelentes gráficos e ambientação imersiva. Trazendo recursos recentes como o Raytracing, sendo um dos primeiros a ter suporte à tecnologia. Criado na engine Foundation, e com suporte ao DirectX 12.

Em Shadow of the Tomb Raider, 92 quadros em 4K no ultra, 154 em 1440p.

Gainward RTX 3090 Phoenix - 7 - Shadow of the Tomb Raider

 

The Division 2

Jogo da Ubisoft lançado em março de 2019, com sua ambientação agora em Washington DC., o jogo possui mecânica de RPG de ação e tiro tático em terceira pessoa desenvolvido pela Massive Entertainment na Snowdrop Engine.

Por fim em The Division 2, a placa entrega 75 quadros em 4K no Ultra, e 126 em 1440p.

Gainward RTX 3090 Phoenix - 8 - The Division 2

 

Control

É um jogo de tiro em terceira pessoa desenvolvido pela Remedy Enterteinment, lançado em agosto de 2019. Feito na Northlight Engine, com incríveis efeitos visuais, combate frenético e é um dos jogos para demonstrar tecnologias como o RayTracing e o DLSS.

Partindo para os testes em Ray Tracing, Control que é um dos games relevantes quando falamos deste tipo de recurso, a placa vai bem no 4K máximo com Ray Tracing e DLSS, 56 de mínima, 70 de média, entregando um gole a mais em relação a 3080. Então a performance é boa, mas perto demais da 3080 para custar tanto a mais.

Gainward RTX 3090 Phoenix - 9 - Control

 

Temperatura

Gainward RTX 3090 Phoenix - 10 - Progresso da Temperatura

A temperatura da GPU ficou OK, média de 74 graus em stress por 30 minutos sem oscilações, que indica que deve se manter assim. Porém, outras áreas da placa ficaram muito quentes. E para isso, só vendo pela câmera térmica.

Gainward RTX 3090 Phoenix - Backplate (flir)

Gainward RTX 3090 Phoenix - Cima (flir)

Gainward RTX 3090 Phoenix - Frente (flir)

Na frente da placa, tudo OK, os cabos PCI Express meio quentes por conta da alta exigência neles. Em cima, 89 graus na região que atribuo aos chips de memória, que se confirma vendo pela parte de trás. Como vocês sabem, o PCB da placa é bastante curto, ao mesmo tempo que existem muitos chips de RAM dos dois lados, fazendo com que o calor se concentre no pouco espaço da placa. Vemos 90 graus em dois pontos distintos no backplate, que indica que a temperatura interna pode estar até maior, e como a placa não tem sensor nas RAMs, não dá pra ter certeza do quão quente está.

Gainward RTX 3090 Phoenix - 11 - Progresso da Frequência

Na estabilidade do clock, devido ao alto consumo da placa e a limitação dos dois conectores, há oscilações no clock em alguns momentos abaixo do boost informado, indicando Power Throttling no PerfCapReason. Ainda assim, na média a placa trabalha acima do esperado. Por esses motivos eu nem tentei fazer um overclock nela.

Gainward RTX 3090 Phoenix - 12 - Blender

Na área profissional, renderizando uma cena complexa em Blender, a RTX 3090 termina o teste em 4 minutos, 37% mais rápida que a 3080, aqui sim mostrando seu verdadeiro diferencial. Ambas as placas ficaram muito mais rápidas que processadores de última geração, chegando a ser 123% mais rápida que um I9 10900K.

Gainward RTX 3090 Phoenix - 13 - VRAY

Em Vray Next, usando o 10900K com a RTX 3080 e RTX 3090, vemos uma diferença menor, de quase 20%, mas ainda mais palpável que a pequena diferença vista nos games, que no geral rondou os 10%.

 

Conclusão

Logo, 10% a mais em games, mas custando mais que o dobro do preço. Fica óbvio que não vale a pena comprar uma RTX 3090 apenas pensando em games, exceto se você for um entusiasta que faz questão de ter o melhor independente do custo, pois você paga mais do dobro para ter na prática, bem pouca diferença. Para o mercado profissional que precisa de grandes quantidades de VRAM, sim, pode valer a pena comprar, onde uma animação muito complexa pode terminar bem mais rápido na 3090, e pagar o alto custo da placa.

O problema que nos temos hoje é encontrar estas placas para vender, pois após dois meses do lançamento dela, ainda estamos vivendo os mesmos problemas de fabricação e as placas seguem sem estoque mundial, que parece a oportunidade perfeita para a AMD entrar com a RX 6900 XT de 16GB, com performance próxima e custando 1/3 a menos, $1000 dólares! Espero em breve trazer este comparativo aqui no site e lá no canal.

Em relação ao modelo Gainward Phoenix, enquanto a temperatura do chip foi boa para uma GPU deste calibre, o projeto como um todo demonstrou ser esquentado, ficando um ponto de atenção nas temperaturas dos componentes da parte de trás. Agradecimentos à Performance Solutions pelo envio da amostra para testes.