Review Gigabyte Z490 Aorus Master

Lucas Peperaio
16/12/2020
Review

Hoje vamos testar uma das melhores e mais caras placas-mãe para a décima geração Intel Core codinome Comet Lake. Nada mais nada menos que a Gigabyte Z490 Aorus Master, que será testada igualmente com o melhor CPU da sua categoria, o Core I9 10900K em stock e em overclock até 5.1 Ghz.. E vocês verão que a placa tem margem para ir muito, mas muito além. Vamos explorar a placa com calma, além de testar alguns kits de RAM e acompanhar as temperaturas.

Unboxing

Gigabyte Z490 Aorus Master - Placa e Caixa

A caixa da placa estampa o Falcão, mascote da marca, e o nome Z490 Aorus Master em destaque, declarando ser uma placa para o mercado Gaming e destacando o chipset Z490 e Intel LGA2100. Atrás vemos um resumo dos principais recursos, como o VRM, dissipação, slots com suporte a PCI 4.0 e rede gigabit / Wifi. Por dentro, além da placa, vemos alguns acessórios. A começar com uma folha de adesivos e rótulo para cabos Aorus, manual completo, guia de instalação e Badge Aorus. Em dois compartimentos, vemos 4 cabos SATAs, 2 cabos extensores RGB 12V, 2 cabos de temperatura. Do outro lado, a antena Wifi, o G-Connector e um sensor de ruído para uso na placa.

 

Overview

Gigabyte Z490 Aorus Master - Placa (Frente)

Gigabyte Z490 Aorus Master - Placa (Back)

A primeira coisa que chama a atenção é o peso da board. Com todos os dissipadores, ela pesa inacreditáveis 1.85KG. Todo esse peso tem um motivo, um enorme backplate que reforça a placa e evite empenamento, além de uma armadura que cobre todos os slots M.2 e VRM da placa, que veremos em detalhes adiante. Essa é uma característica das melhores placas do mercado.

Gigabyte Z490 Aorus Master - Dissipador Chipset

Gigabyte Z490 Aorus Master - Carenagem

Destaca-se na placa a iluminação RGB presente no dissipador do chipset e na carenagem do painel traseiro ao lado da logo Aorus Z490 Master. A placa segue o tradicional formato ATX medindo 30.5cm por 24.4cm, sendo compatível com a maioria dos gabinetes do mercado.

Começando pelos recursos de ventilação e controle de bomba, a placa conta com vários headers. SYS_FAN 1 e SYS_FAN 2 próximo ao VRM, CPU_OPT e CPU_FAN na parte de cima, SYS_FAN 6 na lateral, SYS_FAN 3, 4 e 5 na parte de baixo, totalizando 8 conexões em locais bem posicionados.

Gigabyte Z490 Aorus Master - Soquete

O socket é o LGA1200, que conta com mais pinos que o antecessor LGA1151. Ele tem uma orientação diferente no encaixe do CPU, portanto é mecanicamente e eletricamente incompatível com CPUs anteriores a décima geração Intel. O encaixe do cooler, no entanto, segue o mesmo.

Gigabyte Z490 Aorus Master - Dissipador 1

Gigabyte Z490 Aorus Master - Dissipador 2

Gigabyte Z490 Aorus Master - Dissipador 3

Gigabyte Z490 Aorus Master - Dissipador 4

A placa conta com dissipadores duplos no VRM interligados por um heatpipe de 8mm. Porém, não no esquema tradicional, onde o heatpipe interliga unicamente os dissipadores. Mas sim, há um contato direto do cobre com os DrMOS via thermalpad, maximizando a transferência. Thermalpads estes de excelente qualidade, com condutividade 7.5W/mK. Os dissipadores contam com aletas que ajudam a espalhar o calor, ao mesmo tempo que favorecem o ar entrar nas regiões internas. E pelo fato de estarem conectados, transferem entre si o calor, dividindo a carga. Por trás, o backplate atua como dissipador ao se conectar ao PCB via thermalpad, exatamente abaixo dos DrMOS.

Gigabyte Z490 Aorus Master - CPU (Energia)

Gigabyte Z490 Aorus Master - VRM (Back)

A placa conta com dois conectores de alimentação de 8 pinos, sendo um o obrigatório, mas sempre que possível utilize os dois para maior estabilidade. Eles possuem blindagem especial e pinos mais resistentes para suportar correntes maiores. O circuito começa com um indutor 15nH para filtragem da corrente, 6 capacitores 217uF 16V e 15 capacitores 561uF 6.3V para filtragem da energia fornecida ao CPU, indutores 30nH além de vários capacitores de cerâmica e os poucos comuns capacitores de tantalum dos dois lados do PCB, inclusive abaixo do socket, estes que auxiliam na resposta transitória e estabilidade.

Gigabyte Z490 Aorus Master - PWM

A placa utiliza o PWM ISL6926A que fica parcialmente coberto pelo dissipador. Ele pode controlar individualmente 7+1 fases. A Gigabyte utiliza o esquema tradicional com 7x Doublers ISL6617A, de modo com que as 14 fases para Vcore possam ser acessadas individualmente, embora com um maior delay devido o componente intermediário. Assim, este é um VRM de 7×2 Fases para Vcore + 1 para SOC e gráfico integrado, mas também pode ser chamado de 14+1.

Gigabyte Z490 Aorus Master - VRM 1

Gigabyte Z490 Aorus Master - VRM 2

A AORUS utilizou os novíssimos ISL99390 com fornecimento de impressionantes 90A cada, são Power Stages de extrema qualidade e eficiência que englobam diversos circuitos em um único encapsulamento. Logo, pode oferecer 1260A de corrente para o CPU, o que obviamente o dissipador não suportaria, mas pode ser trabalhado em sessões de overclock extremo com margem inacreditavelmente alta. E isso, é claro, se reverte em baixas temperaturas, já que a carga é dividida entre eles. A única fase do SOC, no entanto, usa um SIC651 de 50A, o que já mais que suficiente.

Gigabyte Z490 Aorus Master - Slot de Memória - 1

A placa conta com 4 slots de memória DDR4 com suporte a Dual Channel, 128GB e até 5000 Mhz em overclock, sendo o padrão 2933 no controlador do CPU. A topologia adotada é Daisy Chain. Eu fiz o teste com 4 kits de RAM diferentes, um Teamgroup Vulkan 3000 Mhz CL15 2x4GB, um G-Skill Sniper-X 3400 Mhz 2x8GB CL16, um G-Skill TridentZ Royal 3600 Mhz CL16 2x8GB e um HyperX Predator 3600 Mhz CL172x8GB, todos funcionaram perfeitamente apenas ativando o XMP na BIOS.

Gigabyte Z490 Aorus Master - Lateral

Gigabyte Z490 Aorus Master - Satas

Na lateral da placa vemos duas conexões RGB, uma 12V e uma 5V, pontos de medição de tensão, Led Debugger para diagnósticos mais precisos, botão Start, plugue 24 pinos também com blindagem especial, header para medição de temperatura, USB 3.2 Gen 1 frontal, mais conhecido como 3.0 e USB 3.2 Gen 2 frontal, mais conhecido como 3.1, thunderbolt, 6 SATAs com suporte a RAID 0, 1, 5 e 10.

Gigabyte Z490 Aorus Master - Parte Inferior

Embaixo, leds indicativos de qual BIOS está sendo usada, leds de diagnóstico rápido para CPU, VGA, RAM e Boot, Clear CMOs, outro header de temperatura para termistor, headers do painel frontal, botão reset, header para usar o cabo de ruído, dois USB 2.0 frontal, TPM, mais um RGB 12V e 5V, Switch de Single ou Dual BIOS, Switch de troca entre BIOS 1 e 2, áudio frontal.

Gigabyte Z490 Aorus Master - PCIE

Gigabyte Z490 Aorus Master - Dissipadores Slot M.2

Gigabyte Z490 Aorus Master - Dissipadores Slot M.2 - 2

A placa conta com três slots M.2, todos com suporte a SSDs de até 110mm e todos cobertos pelo dissipador da placa com thermalpad incluso. Apenas o primeiro M.2 não aceita SSDs M.2 do tipo SATA. Existe limitações ao usar certos slots M.2 em conjunto com certos SATAs, consulte o manual para entendê-las.

Gigabyte Z490 Aorus Master - PCIE (Frente)

A placa conta com três slots PCI Express X16, nenhum X1, todos com reforço metálico para aguentar placas mais pesadas. O primeiro slot é sempre o ideal para uma placa, enquanto que o segundo pode ser usado em SLI ou Crossfire e rodará em X8. O último slot roda apenas em X8. Logo o funcionamento é X16, X8-X8, X8-X8-X4.

Apesar da placa informar o suporte a PCI 4.0, hoje este recurso está desabilitado para uso futuro.

Gigabyte Z490 Aorus Master - Conexões

O painel traseiro trás o espelho pré-fixado, sendo estilizado para o design da placa. A placa oferece o botão Clear CMOS para reset da BIOS e Q-Flash Plus para atualização ou reinstalação da BIOS mesmo sem CPU ou RAM instalada. Ao lado, adaptador Wifi 6 com suporte a a/b/g/b/ac/ax 2.4 e 5 Ghz até 2.4 Gbps, rede 2.5 Gb de alta velocidade, 2.5x mais rápido que o tradicional. A placa conta com 10 USBs, sendo 4x USBs 2.0, 2x USB 3.2 Gen 1 e 4x USB 3.2 Gen 2, uma delas Tipo C. Há uma saída HDMI para uso de vídeo integrado e aúdio 7.1 com conexão óptica equipado pelo Realtek ALC1220-VB.

 

Teste de Temperatura

Gigabyte Z490 Aorus Master - 10900k Stock (flir)

Testando o VRM em minha metodologia com temperatura ambiente 32 graus utilizando o melhor processador para esta placa, Core I9 10900K sem nenhuma alteração, a própria placa já removeu os limites de TDP e permitiu que ele trabalhasse em seu clock padrão 4.9 Ghz todos os núcleos em Stress no Blender, onde a exigência rondou a casa dos 170ª, a temperatura máxima foi de 59 graus, muito frio.

Gigabyte Z490 Aorus Master - 10900k Gaming (flir)

Gigabyte Z490 Aorus Master - Chipset (flir)

Ativando o modo Gaming na BIOS, onde a placa trava o clock em 5Ghz, a tensão ficou alta além do necessário, deixando o CPU muito quente o VRM apenas um pouco mais quente, 69 graus. No ajuste manual, que é o que eu recomendo, o CPU a 5.1 Ghz e 1.3V com o CPU exigindo algo em torno dos 200A, o VRM ainda se manteve muito frio, 74 graus no ponto mais quente, o mesmo que é visto no sensor via software. O chipset, por sua vez, permaneceu em 58 graus.

Gigabyte Z490 Aorus Master - 10900k 5.1GHz (flir)

Em relação a uma placa mais simples analisada anteriormente, TUF PLUS Z490, a temperatura ficou de 7 a 9 graus a menos. Portanto esta é uma placa que suporta qualquer processador da décima geração mesmo em overclock com absoluta tranquilidade e margem absurda em seu sistema de alimentação.

 

BIOS

Gigabyte Z490 Aorus Master - BIOS 1

Gigabyte Z490 Aorus Master - BIOS 2

A BIOS da placa segue o mesmo layout das placas AORUS do mercado, variando apenas na quantidade de recursos por placa. O modo Easy permite rápida visualização e ajustes simples, enquanto no modo avançado, com ênfase na aba Tweaker, é possível ativar o modo Gaming ou avançado, desbloquear o Enhanced Multi Core para permitir clocks mais agressivos por padrão, além de ajustes de RAM, timings, tensões e load line calibration. Os demais menus permitem ajustes no sistema, boot, além de opções para atualização de BIOS e configuração das fans e bombas do sistema.

 

Conclusão

Hoje testamos umas das melhores placas-mãe para CPUs da décima geração, com recursos premium que a tornam também uma das mais caras do segmento, embora sim, existam outras acima. Nos EUA, ela é encontrada por $389, sendo a terceira melhor no lineup da Gigabyte. No Brasil, com a instabilidade comercial e efeito novidade, o preço chega a patamares surreais na casa dos R$ 4400, de forma com que nem o dólar alto justifica o valor.

Para entusiastas que buscam o melhor da plataforma e de fato pretende explorar cada recurso que a placa oferece, ignorando o preço, é um excelente produto. Mas o alto preço por aqui dificulta muito a sua vida, visto que existem placas Z490 muito mais baratas e que na prática, oferecem um VRM robusto o suficiente para suportar um I9 10900K, tal como a TUF PLUS recém-analisada.

Em breve trarei outras opções da AORUS abaixo da Master, então fiquem ligados por aqui.