Review Placa-mãe MSI MAG B550 Tomahawk

Lucas Peperaio
16/12/2020
Review

Já vimos aqui no canal dois modelos de placas B550, a ROG Strix B550-E e a B550 Aorus Pro, e agora chegou a vez da MSI, através de um dos seus melhores modelos, temos em mãos a MSI MAG B550 Tomahawk! Será que ela tem a mesma fama de qualidade e robustez da B450 Tomahawk? É o que veremos neste vídeo através de testes práticos do VRM e RAM, além de um estudo dos seus principais recursos.

 

Unboxing

Esta é a primeira vez que eu analiso uma placa-mãe MSI! No passado, eu analisei apenas algumas placas de vídeo.

MSI B550 Tomahawk - Caixa (Frente)

MSI B550 Tomahawk - Caixa (Back)

MSI B550 Tomahawk - Unboxing

A caixa trás um estilo único pronta para a batalha. Em grande destaque MAG B550 Tomahawk, o selo de compatibilidade com os RYZEN de terceira geração em diante, porém deixando claro que as APUs não são suportadas por serem Zen+. Na parte de trás, uma foto da placa com seus principais diferenciais, um gigante dissipador no VRM, LAN 2.5Gbps, Core Boost, dissipadores nos M.2 e etc. Por dentro, poucos acessórios. Apenas dois cabos SATA, uma badge MSI, três parafusos para M.2, manual, DVD e folhetos.

 

Overview

MSI B550 Tomahawk - Caixa e Placa

A B550 Tomahawk segue uma ideia de design parecida com a B450, estilo sóbrio e cores neutras que se encaixam bem em qualquer setup. Até os leds estão desaparecendo, estando apenas por baixo do dissipador do chipset, e ainda existe um switch na placa para você desligar caso queira tudo apagado. E falando neles, a placa ganhou um novo conjunto de dissipadores, maiores e com novos desenhos.

A placa vem no tradicional formato ATX medindo 30.5cm por 24.4cm, que permite recursos mais espaçados e em maior quantidade que modelos MicroATX. A placa conta com 8 conexões para fans e bombas, bem posicionados ao longo da placa nos pontos de interesse. SYS_FAN 6 na lateral esquerda, CPU_FAN e PUMP_FAN em cima, SYS_FAN1 e SYS_FAN 2 na lateral direita, SYS_FAN 3, 4 e 5 na parte de baixo.

MSI B550 Tomahawk - Soquete

O socket é o bom e velho AM4, o mesmo de 2017 que manterá a retro compatibilidade entre 4 gerações. Mas a placa não, pois ela só é compatível oficialmente com os RYZEN da terceira geração, além dos futuros da quarta geração. No vídeo que eu fiz da B550-E ROG recentemente eu mostrei que foi possível usar CPUs de gerações passadas de forma oficial, sem ajustes malucos. Nesta placa, eu também tentei fazer isso, mas não foi possível, o mesmo para a B550 Aorus Pro testada recentemente.

MSI B550 Tomahawk - Dissipador (Lado)

MSI B550 Tomahawk - Dissipador (Baixo)

MSI B550 Tomahawk - Dissipador (Cima)

MSI B550 Tomahawk - Dissipador fixado (Lado)

Ao contrário de várias placas modernas que trazem uma cover de plástico por cima do dissipador na área do painel traseiro, apenas por estética, aqui temos também esta cobertura total, mas com metal. Sim, o dissipador se estende até o painel traseiro, oferecendo uma maior área de dissipação. Eles são parafusados, garantindo excelente fixação e pressão. E é semi-aberto, favorecendo a ventilação da região. Porém não são interligados via heatpipe, logo não há uma transferência entre os blocos.

MSI B550 Tomahawk - Dissipador fixado 2

Mas o dissipador da parte superior lida apenas com 4 fases, duas delas sendo do SOC, que não exige muita dissipação. A MSI utiliza thermalpads de condutividade 7W/mK que cobrem todos os DrMOS e indutores.

MSI B550 Tomahawk - VRM

MSI B550 Tomahawk - Back

O circuito começa com um conector de 8 Pinos para o CPU, teoricamente capaz de suprir mesmo um 3950x, mas um conector de 4 pinos extra seria bem-vindo. Um indutor ao lado faz a filtragem da corrente de entrada, junto com 4 capacitores sólidos 270uF 16V. Na saída, 10 capacitores sólidos 560 6.3V e dezenas de capacitores de cerâmica na parte de baixo completam o filtro LC. Não foi implementado capacitores de Tantalum como em outras placas B550.

MSI B550 Tomahawk - VRM 2

Ao contrário da B450 Tomahawk que utilizava Mosfets simples, aqui temos o uso de DrMOS, mais eficientes e robustos. Trata-se do Intersil ISL99360 de 60A, o mesmo utilizado na X570 Tomahawk. O PWM utilizado é o Renesas 229004, o mesmo de várias placas B550, que controla 8 fases. Como não há Doublers neste projeto, a cada dois DrMOS e dois indutores, a MSI considera uma fase, ou uma Super Fase com componentes duplicados. Visivelmente, são 12 fases, sendo 5 fases duplicadas para Vcore, 2 fases reais para SOC.

MSI B550 Tomahawk - Slot de Memória

A placa conta com 4 slots de memória DDR4 com suporte a Dual Channel, 128GB e até 5100 Mhz em overclock, sendo o padrão 3200 Mhz para baixo. Eu fiz o teste com 4 kits de RAM diferentes, um Teamgroup Vulkan 3000 Mhz CL15 2x4GB, um G-Skill Sniper-X 3400 Mhz 2x8GB CL16, um G-Skill TridentZ Royal 3600 Mhz CL16 2x8GB e um HyperX Predator 3600 Mhz CL17 2x8GB, todos funcionaram perfeitamente apenas ativando o XMP na BIOS.

MSI B550 Tomahawk - Conexões Sata

Na lateral da placa vemos uma conexão RGB 5V endereçável, leds indicativos do status do POST, USB 3.2 Gen 2 frontal, 6 portas SATA 6Gbps com suporte a RAID 0, 1 e 10. Na parte de baixo, um segundo RGB 5V endereçável, headers do painel frontal, speaker, RGB 12v, USB 3.2 Gen 1 frontal, dois USBs 2.0, switch de leds, mais um RGB 12V, Chassi Intrusion, áudio entre outras.

MSI B550 Tomahawk - Parte Inferior

Um ponto que eu não acho muito amigável são esses nomes na placa. Ao invés de nomes mais simples como Front Panel, Clear CMOs, Speaker, palavras como JFP2 JF1 JC11 ou JBD1 não ajuda a entender do que se trata certa conexão.

MSI B550 Tomahawk - Slot M.2

MSI B550 Tomahawk - Dissipador M.2 (Solto)

MSI B550 Tomahawk - Dissipador M.2

A placa conta com dois slots M.2 com dissipador + thermalpad que auxiliam a reduzir a temperatura dos SSDs NVMe, ajudando na durabilidade e performance. Podem ser removidos caso o seu SSD já tenha um dissipador. O primeiro mais próximo ao CPU é controlado justamente pelo CPU, e trás o suporte a SSDs até 22110, SSD M.2 tipo SATA e SSD M.2 PCIe 4.0 ou 3.0. O segundo slot só permite SSD PCI 3.0 até 2280.

MSI B550 Tomahawk - PCIE

A placa conta com dois slots X16 e dois X1. O primeiro X16 tem reforço metálico para prevenir torções no PCB e fortalecer o slot contra danos ao usar placas muito grandes e pesadas. Ele trás o suporte ao PCI Express 4.0 X16. O segundo slot X16 é controlado pelo chipset e só funciona no modo X4 3.0, indicado para placas de captura, de áudio, rede e etc.

MSI B550 Tomahawk - Conexões

No painel traseiro, surpreendentemente a placa tem não uma, mas duas Lan, sendo seu principal diferencial em relação as outras placas B550 e placas X570. Uma delas é de 2.5Gbps conforme marcado no espelho traseiro que já vem pré-fixado. No entanto a placa fica sem espaço para mais USBs, são apenas 6. Utilizando o mouse e teclado nas duas USB 2.0, sobram 2x USB 3.2 Gen 1 e 2x USB 3.2 Gen 2, uma delas tipo C. A MSI decidiu colocar conexões legadas como a PS/2 mouse e teclado, que poderia ser substituída por mais USBs, já que é um recurso que caiu em desuso. HDMI e Display Port são bem-vindos, mas ainda não existem APUs compatíveis para estas placas, ficando reservado para uso futuro. Flash BIOS Button é sempre bem-vindo, e o áudio 7.1 com saída óptica é provisionado pelo codec Realtek ALC1200, indicando pela porta vermelha qual a conexão mais comum.

 

Teste de Temperatura

MSI B550 Tomahawk - 3600 - Blender (flir)

MSI B550 Tomahawk - 3600 - PUBG (flir)

Testando o VRM em minha metodologia com temperatura ambiente 32 graus de forma a simular uma carga típica dentro de um gabinete fechado, ao testar o RYZEN 5 3600 em um teste de stress no software Blender por 15 minutos, demo Classroom, cuja carga era de apenas 40A, o VRM ficou muito frio, fruto da quantidade e qualidade dos componentes, além do robusto dissipador, apenas 44 graus. Em jogo, PUBG por 15 minutos, 3 graus a menos.

MSI B550 Tomahawk - 3700x - Blender (flir)

MSI B550 Tomahawk - 3700x - PUBG (flir)

Com um Octa-Core, Ryzen 7 3700x exigindo cerca de 54A, a temperatura subiu em apenas 1 grau, 45 no ponto mais quente, e isso já mostra a absurda margem que este VRM tem. Em game, tudo absolutamente tranquilo.

MSI B550 Tomahawk - 3700x OC (flir)

Em overclock com o 3700x em 4.1Ghz all Core 1.44V, cuja exigência subiu para 73A, incríveis 51 graus, duplamente confirmado pelo sensor da placa-mãe e pela câmera térmica. Logo esta é uma placa cuja construção suporta com folga um Ryzen 9 3900x ou um 3950x mesmo em overclock, e em breve eu trarei uma atualização deste teste com um Ryzen 9.

 

BIOS

A Interface UEFI BIOS da MSI segue um estilo único próprio da marca. Na tela inicial, podemos realizar os ajustes rápidos como modo UEFI, AHCI, fazer ajustes de XMP e ordem de boot, além de ver um resumo das configurações do hardware. No modo avançado, há 6 menus na vertical para ajustes. Em Settings ajustamos as principais configurações da placa-mãe envolvendo I/O, segurança e boot. Em OC, como o próprio nome diz, recursos para overclock, como os clocks, timings, tensões, load Line calibration, ajustes finos de PBO e AMD CBS. Em M-Flash podemos regravar a BIOS para atualizações ou retornar a uma versão anterior e etc.

MSI B550 Tomahawk - BIOS

 

Conclusão

Seria então a B550 Tomahawk uma mera atualização da B450 Tomahawk, com um novo chipset? Não, nem perto disso. A B550 Tomahawk eleva o patamar das placas final 50 para o mesmo nível das placas X570, então ela é muito superior em relação a sua antecessora. E não só por oferecer o PCI Express 4.0, mas pela construção como um todo, VRM muito robusto para suportar com folga mesmo um RYZEN 9 3950x em overclock, melhores opções de conectividade como a Dual LAN, slots M.2 com dissipadores e etc.

Isto, obviamente é refletido no preço. Enquanto uma B450 Tomahawk era encontrada tipicamente entre R$ 900 e R$ 1000, a B550 Tomahawk é encontrada hoje por R$ 1742, categoria de preço onde encontramos alguns modelos de placas X570 e SIM, ainda existem vantagens na X570 que trazem o PCI Express 4.0 em mais áreas da placa-mãe, enquanto as placas B550 ainda mescla PCI 3.0 e 4.0.

Então sim, assim como as outras placas B550 testadas, são excelentes produtos, mas que realmente fazem alguma diferença para usuários que buscam diferenciais além do que é proposto em uma B450.

Para as pessoas que decidem abrir mão do PCI 4.0 seja por não fazer diferença ainda em placas de vídeo ou seja por não ter um SSD deste tipo, que é muito caro, é possível simplesmente partir para uma placa B450 pagando um preço notavelmente menor, e ainda assim apresentar um excelente desempenho com os processadores atuais da massa casual, mesmo um Octa Core como um Ryzen 7 3700x ou o tão popular Ryzen 5 3600.